Antes de respondermos a pergunta feita no título desse post, “O Novo Marketing: O que é e como funciona?” vamos a algumas definições técnicas. Segundo o Google:

“A estratégia empresarial de otimização de lucros por meio da adequação da produção e oferta de mercadorias ou serviços às necessidades e preferências dos consumidores, recorrendo a pesquisas de mercado, design, campanhas publicitárias, atendimentos pós-venda, entre outros, etc, formam o Marketing, sendo que o conjunto dessas atividades é chamado de composto de marketing.”

Para a Associação de Marketing Norte Americana, a definição de Marketing aceita é:

“o gerenciamento de processos responsáveis por identificar, antecipar e satisfazer as necessidades dos clientes obtendo lucro.”

Agora, a definição mais clara e fácil de absorver. Philip Kotler, o pai do Marketing moderno diz:

“Marketing é a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos através de processos de trocas.”

O Novo Marketing: O que é e como funciona?

A palavra Marketing vem do Inglês e quer dizer mercado. Porque não chamamos de “Mercado” então? Não sei. Adotamos vários termos emprestados do inglês em nosso vocábulo diário e este é só mais um deles. 😉

Mas enfim, todos os papéis e relações, ferramentas e processos existentes (vendedores, compradores, intermediadores, áreas de vendas, publicidade, atendimento, relações públicas, etc.) podem ser descritas como parte do mercado.

Aliás, tem gente que até hoje confunde Publicidade com Marketing.

Pra não confundir mais: Administração > Marketing > Publicidade.

Ainda assim, é bem abrangente, não é mesmo? Mas é exatamente assim. Todos os processos que envolvam o seu produto em um mercado são relacionados ao Marketing e este produto se relaciona a administração de uma empresa.

Todo o Mix de Marketing (os famosos 4 P’s, preço, produto, promoção e ponto) e os fatores relacionados ou pertencentes a eles como a propaganda, a publicidade, a venda e diversos outros fatores, fazem parte do Marketing.

Mas é importante entender que o Marketing é muito mais amplo e abrange diversos outros fatores como composição e elaboração do produto, estratégias de precificação, logística de distribuição, enfim, tudo que envolve o seu produto dentro de um mercado. Ok, entendemos o que é o Marketing. Mas como ele funciona? Porque ele existe? Vamos lá?

Porque o Marketing existe?

via GIPHY

Quando pensamos em Marketing, uma questão inicial vem a mente. Por que ele existe? Para responder a essa questão, é importante ter em mente que ele não existia da forma como o conhecemos hoje, antes da revolução industrial.
Embora saibamos que alguns conceitos de Marketing já existiam desde a idade média, a formação social existente naquela época era muito diferente da atual.
As pessoas viviam em comunidades bem próximas e adquiriam bens e serviços através principalmente do escambo e compras locais. Quando alguém precisava de comida, ferramentas ou qualquer outro produto, sempre havia alguém próximo a ele para fornecer.

O pensamento de Marketing e das suas diversas escolas, foi acompanhando a evolução da humanidade. Quando a especialização emergiu, em conjunto com a revolução industrial, as pessoas que precisavam de produtos e serviços e as pessoas que os forneciam, podiam estar muito afastados um do outro. Por isso, a necessidade de comunicar a quem precisava desses ítens surgiu com mais intensidade e, junto, um maior desenvolvimento das ferramentas e do entendimento do marketing.

A Evolução do Marketing

via GIPHY

Depois da revolução industrial, uma evolução na compreensão do marketing se fez necessária e na década de 50 os 4 P’s (Produto, Preço, Ponto e Promoção) foram criados. Mas em relação ao nosso atual presente e o futuro iminente, esta teoria, embora importante e correta, não pode mais ser vista como única. Isso porquê o modelo de marketing dos 4 P’s é centrado na empresa e não no cliente. Recentemente, um novo modelo complementar, centrado nos clientes foi criado e nomeado como 4 C’s (Cliente, Custo, Comunicação e Conveniência) para suprir esta necessidade.

Mas voltando a falar dessa evolução, passamos pelos jornais e revistas mensais, semanais e depois diários. Em pouco tempo, vimos a ascensão e queda do rádio, que emergiu como a mídia definitiva mundialmente quando do seu lançamento. Posteriormente foi substituído pela TV como a mídia de massa mais importante e no meio do caminho, tivemos outras mídias, tradicionais ou não fazendo parte dos planos de marketing de empresas de todos os tamanhos.

E de repente pulamos para o século 21 onde vemos novas evoluções e revoluções muito interessantes acontecendo, como a adoção de análises demográficas e análises comportamentais, por exemplo. Aos poucos os orçamentos das empresas começam a migrar dos outdoors, panfletos, rádios e TV’s para a Internet e todas as plataformas e recursos que ela oferece.

Claro que essas mídias são importantes e provam continuamente seu valor, mas no cenário atual as mídias tradicionais se provam cada vez mais caras, sem alcançar sequer os resultados do marketing digital em boa parte dos casos.

A Revolução do Marketing

via GIPHY

Agora que compreendemos como o Marketing nasceu, vamos entender como ele se transformou. Afinal, ele evoluiu – e muito, depois da Revolução Industrial. As relações de troca se transformaram do dia para a noite, de simples transações de escambo para elaboradas transações monetárias.

E essa evolução teve uma maior abrangência depois do advento das mídias de massa. E maior capacidade de viralização com o advento da internet, que trouxe um novo tipo de marketing a tona, capaz de medir, controlar e potencializar os resultados do Marketing.

Pagar uma conta ou espalhar uma mensagem pela web é muito mais fácil do que antigamente, quando não tínhamos acesso a tantos dados, instituições e pessoas usando a internet.

Já estamos em um elevado grau de maturação dessa tecnologia que transformou a maneira como lidamos com o mundo. Estamos na era da informação. A Era digital. E ela trouxe muitos benefícios, mas o principal é ser finalmente capaz de mensurar, acompanhar e entender cada um dos seus esforços.

Existe muito para se conhecer sobre essa fase da história recente do marketing, mas não entraremos em muitos detalhes aqui, até porque a idéia deste texto que seja mais prático que teórico sobre o funcionamento do marketing.

Tentamos condensar e simplificar tudo para que a compreensão geral e a assimilação do conteúdo seja fácil e rápida. Por isso, sugiro a você que queira se aprofundar em assuntos como a Web 1.0, Web 2.0 e a Web 3.0, a Lei de Moore, a Lei de Metacalfe, a Internet das Coisas, que busque no Google, dê uma olhada no site e que acompanhe outros influenciadores como Martha Gabriel, Conrado Adolpho, Interney e Erico Rocha no Brasil e Neil Patel, Guy Kawasaki e Matt Curtis no exterior.

Interessante o texto, não é? Pra continuar aprendendo sobre Marketing e o Marketing Digital, siga a gente nas redes sociais, dê a sua opinião e acompanhe nosso blog!

Até a próxima!