WhatsApp. Eu sei, eu sei, a ferramenta dispensa apresentações. Mas mesmo assim, acho bacana citar alguns números que vão te surpreender (e te dar uma base pra entender Como Fazer Marketing no WhatsApp).

Como Fazer Marketing no WhatsApp

Aliás, eu poderia vomitar números e números em cima de você, pra entender a importância do WhatsApp. Mas ao invés disso, vou te fazer uma pergunta: Você tem WhatsApp?

Como Fazer Marketing no WhatsApp

Pois é, todo mundo tem. O WhatsApp é uma das ferramentas sociais mais usadas no mundo.

E uma das regras de ouro do marketing é ir onde o seu cliente está. Fazer o contrário e tentar forçar uma situação, onde ele tenha que baixar um aplicativo, acessar um site ou completar alguma tarefa não é exatamente natural.

Tanto é que pra conseguir resultados, os marketeiros ao redor do mundo se acostumaram a oferecer “propinas”.

Sério. Cada uma das promoções, imãs digitais, conteúdos exclusivos e vantagens que são oferecidos a você por uma empresa (inclusive pela minha), tem um único objetivo:

Pegar os seus contatos, se relacionar para ganhar a sua confiança e vender para você.

Desculpa a honestidade (eu sei que provavelmente estou quebrando o castelo de areia de alguns), mas se você achou que todos iam te oferecer a solução dos seus problemas só porque são bonzinhos… Bom, isso está bem longe da realidade.

Mas o que tudo isso tem a ver com o WhatsApp?

Como dissemos, a ferramenta é usada em peso por praticamente todo mundo. Como diria o Silvio Santos, (imagine o Silvio Santos dizendo isso!) “eu vi, minha mãe viu, minha avó viu e todo mundo adorou”. Bom, tenho que complementar que todo mundo usou.

E por isso, rapidamente, muita gente começou a procurar soluções para trabalhar seu marketing no WhatsApp.

Pelas experiências que eu tive com a ferramenta, tenho que registrar que muita gente usa o WhatsApp para marketing, mas pouca gente usa ele direito.

Como Fazer Marketing no WhatsApp

As principais vantagens do WhatsApp são:

Quando a gente para pra comparar o WhatsApp com outras plataformas como e-mail marketing e canais de redes sociais, a gente vê claramente quem ganha. Veja porque…

  • O WhatsApp não tem custo e de quebra você ainda está livre dos algoritmos de alcance.

envie mensagens para toda a sua base de assinantes sem custos. Com Facebook, Twitter e Instagram todos os algoritmos de implementação que limitam severamente seu alcance orgânico, o acesso total sem ter que “pagar para brincar” chega a ser um alívio.

  • Alertas de mensagens para um envolvimento elevado:

o WhatsApp informa aos seus clientes quando enviou uma mensagem através de notificação por envio. Segundo pesquisa da [Digital Defynd], a sua mensagem tem, em média, uma chance de 70% de ser aberto, muitas vezes em poucos minutos, muito melhor que o desempenho de qualquer lista de marketing por e-mail.

  • Conversas escaláveis e privadas:

Você pode ter o contato direto do seu cliente de forma única. Evite o drama e as cenas de novela das redes sociais (Se você já sofreu com o “bullying” em cima da sua marca nas redes sociais, sabe exatamente do que estou falando)

  • Sem concorrência:

Neste momento, o WhatsApp oferece uma alternativa mais silenciosa em comparação ao Facebook, Twitter ou Instagram. Permite que você obtenha visibilidade onde não há tanta concorrência.

  • Assinantes extremamente leais:

Opt-outs (as pessoas que optam por não receber mais as suas mensagens) são muito baixos e muitas marcas relatam que as métricas de tráfego e conversão do WhatsApp estão entre as melhores que você verá de qualquer canal social com uma estratégia bem executada.

Como Fazer Marketing no WhatsApp

As principais desvantagens do WhatsApp são:

  • Alto envolvimento do usuário no opt-in:

O método mais comum é incentivar o consumidor a adicionar seu número de celular ao seu catálogo de endereços e, em seguida, enviar uma mensagem de opt-in. Alternativamente, você pode pedir ao consumidor para preencher um formulário dando-lhe o seu número de celular, em seguida, você envia a primeira mensagem solicitando que ele adicione você aos seus contatos. De qualquer forma, este é um processo mais demorado do que simplesmente clicar em um botão “como” ou “seguir”. Mas no lado positivo, você acaba com uma lista de qualidade muito mais elevada.

  • Limites da lista de transmissão:

o WhatsApp permite apenas 256 pessoas por grupo. Embora não haja limite para o número de listas de transmissão que você pode criar. O que significa que se você atingir escala, há um pouco de trabalho manual para enviar mensagens. Quanto mais canais você tem, mais tempo leva para enviar já que o processo de criação de mensagem é duplicado para cada canal. Mas você pode ver essa limitação como motivação para uma segmentação eficaz.

  • O WhatsApp pertence a um número de celular:

você não quer apenas um número dedicado (você não quer que uma estratégia de marketing em escala esteja vinculada ao número pessoal de um funcionário), mas você precisará de um telefone dedicado, já que o número e o dispositivo móvel são ligados.

  • Medição de impacto manual:

Embora a maioria das redes sociais ofereça agora análises ou insights, o WhatsApp tem apenas o uso total da rede com as mensagens enviadas e recebidas. Mas os marketeiros mais espertinhos conseguem resolver isso parcialmente usando tags UTM nos seus links de postagem, bem como botões de compartilhamento. E se você está muito motivado, tem sempre a opção dos relatórios manuais no Excel para medir o crescimento e acompanhar dos resultados.

  • Carregamento de mensagens:

Em aparelhos móveis menos potentes, o WhatsApp tende a falhar ao enviar para mais de uma lista de difusão por vez, especialmente se for uma mensagem pesada de dados, como vídeo. Se isso ocorrer, algumas das suas mensagens de difusão não serão entregues. Mas isso é bastante fácil de evitar, esperando por todas as mensagens a serem entregues antes de enviar para o próximo lote.

Premissas básicas

A verdade é que não dá pra se usar o WhatsApp voltado a resultados de vendas sem ter muito esforço e dedicação (além de um time treinado e voltado pra usar a ferramenta), mas sim, é possível ter resultados acima do normal com a ferramenta.

Como eu sei? Bom, digamos que eu já participei de alguns cases com resultados bons (e outros ruins) e tenho certeza de que algumas idéias podem te inspirar bastante. E claro que eu vou falar sobre esses cases daqui a pouquinho. Mas antes, vou te dar algumas dicas básicas, isso é, se você estiver preparado pra entrar no mundo do WhatsApp Marketing!

Bora lá!

Descobrir com quem falar é o primeiro passo antes de começar a disparar mensagens como um canhão sem mira.

Claro que estou levando em conta que você já tem uma empresa, já tem um produto, já sabe em qual mercado, nicho e micronicho sua empresa está inserida e conhece ela “de cabo a rabo”, como diria minha avó.

Acredito que você também já tenha uma buyer persona, que nada mais é do que a personificação do seu cliente ideal. Se quiser entender melhor [o que é e como fazer a sua buyer persona], recomendo que [leia este artigo aqui], do site do Marketing de Conteúdo.

Então já sabe, se ainda não tem essas informações, pode ler, mas vai ser difícil de conseguir obter resultados otimizados sem elas, ok?

Opções de uso

Existem 3 tipos de opções do WhatsApp para envios de mensagem e 3 tipos de mídia.

Os tipos de mídia são áudio, vídeo e texto.

Os 3 tipos de mensagens são:

1- Mensagens em Grupo – Resumindo: É um grupo. Todas as mensagens enviadas são compartilhadas com todos os participantes daquele grupo. Além disso, todo participante consegue visualizar quem são os outros participantes do grupo. Normalmente, você vai querer segmentar seus grupos por interesse. Mas é bem complicado pra usar numa estratégia de vendas, já que tem muitas possibilidades das coisas irem mal. Uma boa idéia de uso é tentar entender seus clientes fazendo grupos de foco, onde você participa e orienta o que é discutido.

2- Mensagens Individuais – Altamente demorado para marcas e, portanto, não excessivamente escalável. No entanto, se você tiver os recursos, pode ser eficaz para venda pessoal ou serviço ao cliente.

3- Mensagem em Lista de Transmissão – você envia a mesma mensagem para todos incluídos nesta lista. O bacana disso é que nenhum dos membros dessa lista de transmissão pode ver que você enviou a mensagem para outros membros ou nem mesmo o que foi dito. Essa é a maneira mais escalável de fazer marketing no WhatsApp.

Como Fazer Marketing no WhatsApp

Como e com quem você deve se conectar?

Ok, essa não serve só pro WhatsApp. Existe uma regra do Marketing que diz que a venda acontece entre o sexto e o vigésimo ponto de contato do cliente com a sua marca. Por isso, nunca tente vender a um desconhecido diretamente.

Ganhe primeiro a sua confiança, demonstre autoridade e quando você perceber, já vendeu. Nada de pegar uma listagem de telefone e sair mandando Spam por aí.

Até porque você vai ter o seu número de celular bloqueado rapidinho.

Deixar o seu número (ou o da equipe de vendas) de WhatsApp no site da empresa é uma boa idéia para começar a gerar contatos interessados em se conectar com você.

Acho que eu já disse isso, mas incentivar o seu futuro cliente a colocar o seu número de celular no agenda dele é bacana. Depois ele pode te procurar no WhatsApp e te mandar uma mensagem. .

Em uma das empresas que auxílio com estratégias de marketing online, criamos um Imã digital e pedimos o número do telefone com WhatsApp no formulário. Assim, a primeira coisa que acontece é a adição desse número de celular a uma lista. [Você pode ver essa estratégia de forma completa aqui.] Em seguida, você envia a primeira mensagem pedindo pra pessoa te adicionar aos seus contatos.

Nessa mesma empresa, a equipe de vendas interna hoje praticamente não usa o telefone. As vendas acontecem pessoalmente, mas o agendamento da reunião é totalmente pelo WhatsApp Foi uma inversão bacana do funil de vendas que praticamente extinguiu os custos de ligação e acabou com o “ele não está” e com o “quer deixar recado” que os seus vendedores devem escutar o tempo todo.

[Faça o download dessa estratégia aqui.]

Conectar-se com seus clientes existentes também é uma ótima idéia. O alto grau de interação do Whatsapp pode ajudar a construir um rapport absurdo com eles, aumentando as chances de recompra e/ou indicação com seus clientes.

E aí vem a parte das vendas… Uma vez que eles já tenham aproveitado o seu serviço ou usado seu produto, eles estarão mais abertos a aceitar um novo produto que a sua marca venha a oferecer.

  • Você deve criar um grupo do Whatsapp com seus clientes?

Uma grande característica do Whatsapp é que ele permite que o número de usuários interaja em uma plataforma comum através dos grupos. No entanto, quando você considera o Whatsapp como uma ferramenta de marketing, criar grupos de clientes pode ser um baita tiro no pé.

Como a ferramenta oferece uma alta capacidade de personalização, o ideal é usar a segmentação para se comunicar. Embora, esses clientes possam ter um interesse comum (no seu produto ou serviço), não há absolutamente nenhuma necessidade para que eles interajam uns com os outros.

A maioria dos clientes provavelmente vai acabar saindo do seu grupo, já que você colocou um monte de desconhecidos que não têm nenhuma ligação entre si pra falar de um produto seu!

Ou ainda pior do que isso, pode ser que você junte alguns insatisfeitos dentro do mesmo grupo e aí já viu, né? certeza de que isso vai se virar contra você.

Pois é, a interação do Whatsapp para fins de marketing deve sempre ser personalizada.

  • Como promover?

Bom, agora vem a questão mais crítica!

Como exatamente você deve comercializar seu produto / serviço no WhatsApp?

Para começar, é legal alterar a imagem do seu perfil com uma certa frequência. Deixar só o seu logo a mostra não vai gerar mais vendas. Mas trocar a foto atual pela foto de algum novo produto seu pode chamar a atenção e gerar interesse para aquilo que mais importa para você: Mais vendas!

Uma vez que você teve o primeiro contato e não fechou nada, salve uma lista com esses contatos (não um grupo) e mande mensagens personalizadas

O próximo passo é começar a enviar fotos ou vídeos de seu produto / serviço para seus clientes em particular. No entanto, certifique-se de sua imagem ou vídeo é sempre acompanhado por um texto apropriado que descreve o produto ou serviço em breve.

Como Fazer Marketing no WhatsApp

Com que frequência interagir?

Novamente, esta é uma questão muito crítica. Acredite em mim quando eu digo que você não vai querer enviar mensagens para seus clientes a todo momento.

Na verdade, é bom tomar cuidado antes de enviar qualquer mensagem promocional ou o seu cliente vai bloquear você imediatamente!

Enviar uma mensagem, uma vez por semana é o suficiente.

No entanto, você pode aumentar a freqüência se você compartilhar um bom relacionamento com o seu cliente.

O Whatsapp mudou a forma como o mundo digital se relaciona.

As pessoas estão gastando mais tempo no Whatsapp do que realmente fazem nas outras redes sociais.

É um meio viral de enviar uma mensagem. Como ele suporta a troca de multimídia, é uma maneira muito interativa de comunicação.

Ele também ajudará na criação de relacionamentos sustentáveis com os clientes, já que as queixas on-line podem ser tratadas em tempo quase real.

O Whatsapp é definitivamente uma ferramenta rentável, rápida e confiável para o marketing de seu produto.

No entanto, você deve saber como usar inteligentemente essas características em seu benefício. É como um Remédio: Se errar na dose, vira Veneno!

Como Fazer Marketing no WhatsApp

Estudos de Casos de Campanhas de Marketing com WhatsApp

Aprender apenas a partir de sua própria experiência pode ser profissionalmente caro. Então, para explorar o potencial do marketing WhatsApp, vamos dar uma olhada em alguns casos de gente que se deu bem (ou nem tanto) com o Whatsapp.

  • Huffington Post (UK): Liderando a Manada

Transformar as mensagens pelo celular em um serviço de alerta de notícias foi a idéia do Huffington Post. Eles foram um dos primeiros a assumir WhatsApp marketing, informando os últimos desenvolvimentos na política do Reino Unido duas vezes por dia.

Utilizando seu site e página do Facebook, tiveram um grande alcance para construir uma audiência inicial, limitando-se a um tópico específico (política) e lançando links de artigos sobre como o país estava se preparando para o referendo de independência da Escócia em 2015.

No entanto, promovê-lo como um experimento pode ter prejudicado a motivação do consumidor e as taxas de inscrição. Pergunte a si mesmo, você faria o esforço para algo que provavelmente vai embora?

RESULTADO: O teste foi finalmente encerrado. Chris York, editor de mídia social da Huffington Post U.K., comentou que o processo de adicionar e remover usuários do WhatsApp das listas de difusão era tão trabalhoso que eles pararam de ativamente utilizar o recurso. Apesar disso, ele elogiou a taxa de cliques para os alertas do WhatsApp como “insanamente alta” em relação ao Twitter e Facebook. Dependendo da história, até 60%. “Se tivéssemos tantas pessoas se inscrevendo no WhatsApp como no Twitter, isso seria traduzido para alguns números maciços”, disse York.

  • The Mirror (UK):

O próximo na linha era o rival do Huffington Post, o The Mirror, que seguiu o que tinha acontecido com um tanto descaradamente aproximadamente seis meses mais tarde com o mesmo tema político que amarra nas eleições. O que eles fizeram diferente? Eles entenderam quais os recursos necessários e tinham uma clara estratégia de marketing de duas histórias seletivas por dia.

RESULTADO: A conta está viva e bem mais de um ano depois com Mike Wright do Mirror destacando “crescimento constante em inscrições desde o lançamento”.

A marca está desfrutando de maior interação do usuário “, muitas vezes para dizer que eles concordam com uma história ou ficam chocados com o que eles leram. “Em geral, tentamos interagir com pessoas que nos contatam no WhatsApp. Mesmo que seja para dizer obrigado pelo feedback. Tivemos algumas trocas sobre o que eles gostariam de ver a partir do serviço, que achamos muito útil. Achamos que responder às pessoas gera uma resposta positiva e elas adoram quando damos atenção para respondê-las. “

  • Absolut Vodka (UK): O Poder da Exclusividade

A Absolut Vodka também adotou uma personalidade atraente para sua marca, um porteiro chamado Sven. Para celebrar o lançamento da sua colecção Absolut Unique, a marca organizou uma festa exclusiva. Tão exclusivo, apenas dois convites estavam disponíveis para o público em geral. O objetivo da campanha do WhatsApp? Convença por que você deveria ir. Veja aqui: https://youtu.be/ozFLRwzyO6Q

RESULTADO: Uma campanha eficaz de conscientização da marca gerando mais de 600 mensagens no WhatsApp, bem cobertas pela mídia e espalhando o público em outros sites sociais como Facebook e YouTube. Representar sua marca com um personagem é adequado à natureza da plataforma de mensagens pessoais da WhatsApp. Se você precisa interagir, não apenas empurrar, a personalidade é importante. Além do mais, uma personagem fictícia pode ser usada novamente para promover eventos diferentes.

  • Hellmanns: o poder da personalização

a Maionese Hellmann’s decidiu tomar uma abordagem mais próxima do seu público. Sua campanha “WhatsCook” era um serviço em tempo real conectando pessoas a cozinheiros profissionais. O usuário compartilha os conteúdos de sua geladeira, e o chef responde com idéias de refeições usando a maionese da marca e ensinando o usuário como cozinhar.

Veja o vídeo aqui: https://youtu.be/xYN9A09iy5Y

RESULTADO: Em média, os 13.000 usuários da WhatsCook passaram 65 minutos interagindo com o chef enquanto cozinhavam. Uma campanha altamente bem sucedida porque a Hellmanns encontrou uma maneira de ser verdadeiramente útil aos consumidores. O único inconveniente, a campanha precisa de uma pesada carga de trabalho personalizado e por isso não foi sustentável a longo prazo.

Aproveito para compartilhar um case que eu vivenciei.

  • Campanha política 2016

E enquanto isso, muita gente já começou a usar o Whatsapp com interesses de Marketing aqui no Brasil. Existem algumas regras Durante as eleições de 2016, por exemplo, o Whatsapp foi usado de forma agressiva como ferramenta de campanha por alguns partidos políticos. O impacto foi enorme, uma vez que as partes poderiam entregar a sua mensagem ao público a qualquer hora, e até fazer “boca de urna” no dia da eleição.

Eu participei da campanha política para um partido político na região de Campinas (SP) e posso afirmar que os resultados são avassaladores.

Uma revolução silenciosa, que ninguém percebeu que estava acontecendo, já invadiu a casa do brasileiro e precisa ser bem utilizada, ou pode gerar mais problemas do que resultados.

A mesma estratégia de marketing está sendo usada por especialistas em marketing digital para ganhar dinheiro com a popularidade do Whatsapp e transformá-la em uma ferramenta de marketing eficaz.

  • WhatsApp Marketing em Pequenas e Médias Empresas

Tenho uma empresa da área de saúde em meu círculo de clientes que precisava de uma solução para aumentar a sua produtividade. Implantamos o WhatsApp nessa empresa, do início ao fim, obtendo resultados muito satisfatórios. Todas aquelas ligações que eram interrompidas não aconteceram mais. As ligações que não encontravam o destinatário também. E cerca de 90% das pessoas respondiam. Quase todas elas “atendiam” a ligação do WhatsApp, vs menos de 50% de resultado anteriormente. Isso quer dizer mais Leads, e mais clientes. quer saber mais sobre como funciona a estratégia usada? Clique aqui e descubra!

Resultados das campanhas do WhatsApp

Independentemente da indústria, todos os estudos de caso do WhatsApp demonstraram interesse dos consumidores em se envolver com marcas na plataforma de mensagens móveis. Isso pode levar a um impacto não só sobre a exposição da marca, mas também sessões e até mesmo receitas. Este interesse pode ser impulsionado através de campanhas bem executadas e vinculação em eventos públicos.Muitas falhas vieram das próprias marcas não estarem preparadas para aproveitar a oportunidade. Ou limitando WhatsApp como um elemento de apoio de campanhas maiores, em vez de capitalizar sobre os canais potenciais de longo prazo.

Mas com planejamento e dedicação, algumas marcas estão surgindo como profissionais de marketing bem-sucedidos no WhatsApp e ganhando público fiel no início do desenvolvimento do canal. Para campanhas de longo prazo, o valor do usuário é mais comumente derivado da estratégia de número limitado (enviar apenas o conteúdo mais importante) ou de uma estratégia de tempo limitado (atualizar como eventos importantes acontecem).

Olhando para o futuro dos aplicativos de mensagens móveis

Parece que o Facebook está procurando usar o Messenger, pois tem mais dados pessoais do que o WhatsApp, como a plataforma de mensagens instantâneas para transações. Prevejo uma integração de opções de pagamento de negócios (pagamentos pessoais já estão disponíveis nos EUA) e feeds de produtos que permitem um funil de conversão completo no Messenger (incluindo pesquisa de produtos, compras e comunicações pós-compra) para bens e serviços. Isso fornecerá um forte concorrente ao WeChat, onde grande parte dessa funcionalidade já está disponível.

Embora isso possa ser possível para o WhatsApp também. Eu acho que é mais provável que vamos ver WhatsApp para as empresas emergir como um serviço ao cliente e / ou ferramenta de difusão promocional.

O fundador Jan Koum escreveu em uma recente postagem no blog que “a partir deste ano, iremos testar ferramentas que permitem usar o WhatsApp para se comunicar com empresas e organizações das quais você quer ouvir. Isso pode significar a comunicação com seu banco sobre se uma transação recente foi fraudulenta, ou com uma companhia aérea sobre um vôo atrasado. “

O atendimento ao cliente parece ser a abordagem que o próprio WhatsApp deseja tomar. Mas, com base no entusiasmo da audiência para mensagens promocionais, se mais marcas continuam a empurrar para o espaço de comercialização do WhatsApp (como espero que este artigo tenha incentivado você a fazer) o próprio mercado também influenciará as plataformas de mensagens nessa direção no futuro.

Em algum momento, podemos esperar não apenas contas de nível de negócios (Whatsapp, por favor acabem também com o limite de transmissão de 256 pessoas!), ferramentas para os editores para gerenciar e enviar para seus contatos com facilidade, bem como a abertura de uma API. Isso permitiria não só análise automatizada, mas um tesouro de dados sobre o usuário, histórico de mensagens, localização e muito mais para nos ajudar a enviar mais conteúdo relevante para os usuários.

Eu também não ficaria surpreso se alguém já estiver construindo um site que lista os números WhatsApp da marca para que você possa navegar e encontrar novos conteúdos a seguir.

Está claro. No mundo darwiniano das mídias sociais, as marcas com os maiores orçamentos de publicidade ou a maioria dos seguidores de mídia social não garantem o sucesso. São aqueles que entendem sua audiência e alavancam seus produtos e serviços através dessa compreensão quem vão ganhar.

Não há negar, o marketing no WhatsApp está em sua primeira infância. Mas em vez de nos concentrarmos no que temos agora, é melhor ver como os hábitos das pessoas mudam e mudar junto com eles. Investir tempo no WhatsApp agora e entender o que funciona para a sua marca, vai te dar lucros muito em breve.

Anderson Palma é publicitário, Especializado em Gerenciamento de Negócios pela CCA Dublin. Escreve neste Blog Sobre Growth Hacking, Crescimento e Conversão. Para saber mais sobre ele, clique aqui

mautic is open source marketing automation